Prevê-se que um quarto dos porcos do mundo morra da febre suína africana

0
111

Espera-se que cerca de um em cada quatro porcos do mundo morra da febre suína africana (ASF), de acordo com a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) em Paris.

A doença varreu mais de 50 países, matando centenas de milhões de porcos.

“Não acho que a espécie se perca, mas é a maior ameaça à criação comercial de porcos que já vimos”, disse Mark Schipp, vice-presidente da OIE.

No início deste mês, o ministério agrícola da China disse que a população suína do país era agora 40% menor em setembro do que no ano anterior, por causa da doença.

A febre suína africana tem vasculhado as populações de suínos na Ásia ao longo do ano passado, provocando uma espiral nos preços globais da carne suína, afetando os mercados de alimentos para animais, como milho e soja.

“Estamos realmente enfrentando uma ameaça global”, disse Monique Eloit, diretora geral da OIE.

“O risco existe para todos os países, sejam eles geograficamente próximos ou geograficamente distantes, porque há uma infinidade de fontes potenciais de contaminação”.

A disseminação da doença levou os analistas do Rabobank a prever um déficit no suprimento global de carne, apesar das expectativas de um pequeno aumento na produção global de carne bovina e de frango.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here