Anúncios


Previsão de melhora para COVID-19

0
25

Nos últimos meses, várias previsões foram feitas sobre o fim da pandemia COVID-19.

Saber quando a contaminação do novo coronavírus será reduzida e controlada.

Anúncios


É algo que intriga a todos – cientistas, governantes, empresários, médicos e, claro, você.

Veja a seguir o que já se sabe sobre o assunto.

O conteúdo foi desenvolvido em colaboração com o pesquisador Fernando Bozza.

Do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino, e o infectologista Rodrigo Amâncio.

Da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e do Hospital Federal dos Servidores do Estado.

Eles estão trabalhando juntos em estudos para prever o progresso do novo coronavírus no Brasil.

Você pode prever o fim da pandemia?

Pandemia é o termo usado quando uma epidemia se espalha para diferentes continentes.

E é sustentada desde a transmissão de um indivíduo para outro.

Ainda não é possível prever quando terminará a nova pandemia de coronavírus.

Embora já existam vacinas, não se sabe quanto tempo dura sua imunidade e se novas variantes do vírus serão resistentes aos imunizantes já desenvolvidos.

A tendência natural é que, com o tempo, a proporção da população já vacinada aumente.

E com isso o vírus circule menos.

Atingindo níveis endêmicos, onde temos mais controle e entendimento do comportamento epidemiológico da COVID-19.

O número de casos tende a diminuir com o tempo?

Os cenários indicam as fases de transmissão, as chamadas “ondas”.

Às vezes, o número de casos será reduzido, outras vezes será mais pronunciado.

Segundo estudos, o desafio será administrar a doença ao longo desse período.

Evitando o colapso do sistema e da saúde.

Enquanto a maioria da população não está vacinada e ainda encontramos um cenário em que surgem variantes do coronavírus.

Como serão essas “ondas” de COVID-19?

“Ondas” referem-se a movimentos cíclicos de tamanhos variados.

Que irão oscilar entre períodos com um número diferente de casos, às vezes menores, às vezes maiores.

O que se espera é que, com o avanço da vacinação da população, atingindo altas proporções na população.

Em torno de 60-70% da população, de fato haja uma diminuição significativa na circulação do vírus.

Diminuindo a amplitude destes.

Ondas, tornando a COVID-19 uma doença comportamental endêmica, mais constante e linear.

O isolamento social e a distância ainda são importantes?

Sim. Isolamento (separação de pacientes de não pacientes), distância social (baixa interação humana; distância de pelo menos 1,5 m).

E o uso de máscara ainda são os métodos mais eficazes de controle da transmissão do novo coronavírus.

Contudo pelo menos até que a maioria da população seja imunizada por vacinação.

O calor reduz a propagação do vírus?

Ainda não há evidências suficientes para sugerir que a propagação do vírus está diminuindo no verão ou mais lenta em países tropicais como o Brasil.

Este é o cenário atual do mundo por tanto é muito importante seguir todas as instruções para que possamos nos livrar deste vírus.

O quanto antes, com a ajuda de todos, vamos estar voltando nossas vidas ao normal como era antes de tudo.

Contudo existem muito mais informações que você pode saber e se informar melhor ainda agora mesmo.