O diretor executivo da Apple, Tim Cook, disse que a empresa abriria suas primeiras lojas físicas na Índia em 2021 e uma loja on-line ainda este ano.

A Apple teve que buscar aprovação especial do governo indiano para abrir uma loja sem um parceiro local.

O anúncio foi feito na assembléia geral anual da empresa.

Os investidores na reunião também votaram em uma proposta de que a empresa deve alterar a forma como responde quando os governos pedem para remover aplicativos de seu mercado.

Embora a medida não tenha sido aprovada, fracassou com uma margem menor do que com propostas semelhantes no passado.

A mudança da Apple para a Índia, o segundo maior mercado de smartphones do mundo, já é esperada há algum tempo, mas o anúncio de uma data era novo.

Em 2018, a Índia mudou as leis que impediam marcas estrangeiras de abrir lojas de marca única no país. No entanto, Cook disse que a Índia quer que a Apple abra sua loja com um parceiro local.

Cook disse aos investidores que não consideram a Apple um “bom parceiro”.

“Gostamos de fazer as coisas do nosso jeito”, disse ele.

A Apple vende seus produtos através de lojas de terceiros na Índia no momento. Mas suas vendas estão abaixo dos concorrentes Samsung e Huawei.

SOLICITE SEU EMPRÉSTIMO AQUI
0%

Com a demanda por produtos da Apple desacelerando na China – mesmo antes do surto de Coronavírus – a empresa espera poder estimular o crescimento em outros mercados em desenvolvimento, como a Índia.

Votação dos direitos humanos
Os investidores da Apple também votaram em uma proposta que visa mudar a maneira como a empresa lida com solicitações dos governos para remover aplicativos de sua App Store.

A proposta teria forçado a Apple a se comprometer publicamente a respeitar a “liberdade de expressão como um direito humano”.

A medida estava ligada à remoção de aplicativos pela Apple pelo governo chinês, incluindo um aplicativo que permitia que manifestantes em Hong Kong contornassem as restrições de internet da China.

Os defensores da medida disseram que a Apple era cúmplice dos abusos chineses dos direitos humanos quando cedeu aos pedidos para remover esses tipos de aplicativos.

A medida foi rejeitada, mas recebeu quase 40% dos votos.

Medidas semelhantes foram propostas no passado, mas nunca receberam tanto apoio.

Dois grupos consultivos de acionistas, Glass Lewis e Institutional Shareholder Services recomendaram votar a favor da proposta.

Preocupações com coronavírus
Cook também abordou o impacto que o coronavírus está causando nas operações da Apple.

A gigante da tecnologia alertou os investidores no início deste mês que esperava perder sua estimativa de ganhos trimestrais por causa do surto. Muitas das fábricas chinesas que fabricam componentes para os produtos da Apple – como seus iPhones e laptops MacBook – foram fechadas ou operam com capacidade limitada para reduzir a propagação da doença.

A assembléia geral também permitiu aos investidores fazer perguntas aos executivos da Apple sobre o outro desenvolvimento da empresa.

Um investidor perguntou por que a empresa não havia comprado os direitos para a próxima reunião do programa de TV Friends – que está previsto para a HBO Max.

Cook disse que um spinoff não seria compatível com a marca Apple TV Plus – que é focada no conteúdo original.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here